Weby shortcut

Normatização de Software

Por Jônatas Rancan. Criada em 23/12/11 00:01. Atualizada em 05/09/13 12:00.

Normatização de Software na UFG


 Índice

 

  1. Termos Técnicos
  2. Projeto Software Legal
  3. Sistemas Operacionais
  4. Programas Antivírus
  5. Formatos Padrões de Arquivo
  6. Aplicações Padrões
  7. Normatização de Laboratórios
  8. Capacitação e Contatos

 


 

1. Termos Técnicos

 

      Alguns termos técnicos importantes para compreensão deste texto são:

  • Máquina desktop – computador de uso pessoal, presente, por exemplo, nos laboratórios, secretarias e salas de professores

  • Máquina servidora – computador configurado para oferecer serviços remotos, em geral para várias pessoas, tais como: serviço de email, página Web, banco de dados etc.

  • Software – programa de computador e toda a documentação e mídia que o acompanha. Geralmente classificamos um software em categorias quanto ao grau de associação do mesmo às atividades de controle do computador e às atividades finais do usuário. Assim, o software básico é responsável pelo gerenciamento de recursos computacionais, enquanto o software aplicativo está voltado para as necessidades finais do usuário (como, por exemplo, digitar um texto, navegar na internet ou jogar).

  • Software gratuito – software para o qual não é cobrada taxa de licenciamento de uso.

  • Software de código aberto (opensource) – software cujo código fonte está disponível, normalmente permitindo estudo, adequação e expansão do mesmo.

  • Software livre – o conceito mais utilizado para esta categoria de software é o de programa de computador que pode ser copiado, estudado, utilizado, modificado e distribuído livremente. A presença do código fonte é um pré-requisito para que o software seja considerado livre.

  • Sistema operacional (SO) – software básico que gerencia os principais recursos físicos de um computador, além de permitir executar e gerenciar outros programas. Exemplos de sistemas operacionais são o Microsoft Windows, o UNIX, o Linux e o Mac OS.

  • Distribuição Linux – uma agregação do núcleo do sistema operacional Linux com diversos pacotes de programas básicos, utilitários e software aplicativos. Existem mais de 300 distribuições Linux, a grande maioria livre (gratuita e de código fonte aberto). São exemplos de distribuições Linux: Slackware, Suse, Debian, Fedora e Ubuntu.

 

 

 

 

2. Projeto Software Legal

 

      O Centro de Recursos Computacionais (CERCOMP) vem desenvolvendo desde 2006 um projeto inovador de normatização do uso de software na UFG, chamado Projeto Software Legal, o qual tem por objetivo atender a três princípios básicos:

  • respeito às licenças de uso de software – neste caso, combate-se a pirataria e a apropriação indevida de qualquer programa de computador. É importante lembrar que a instalação e utilização de software proprietário sem a devida licença legal implica em multa de até 3000 (três mil) vezes o valor de cada cópia irregular, além de ordem de prisão.

  • acesso gratuito e social aos programas de computador mais fundamentais – é considerado que não apenas os alunos, professores e funcionários da UFG, mas toda a comunidade em geral deve ter acesso facilitado aos principais tipos de programa de computador, tais como: editor de texto, sistema de planilha eletrônica e navegador Web.

  • adoção de padrões abertos de arquivos – deve-se utilizar padrões abertos que permitam a troca de documentos e demais conteúdos entre diversas aplicações, contribuindo assim para uma maior independência tecnológica.

      Com base nesses princípios, o CERCOMP definiu uma lista de software padrão para diversas atividades gerais na UFG e elaborou procedimentos para aquisição, instalação e uso de programas de computador, com foco especial na utilização de software livre. Alguns resultados desse projeto de normatização são descritos nas próximas seções.

 

 

 

 

3. Sistemas Operacionais

 

      Nas máquinas desktop da UFG, os sistemas operacionais mais utilizados são o Microsoft Windows, vindo em segundo lugar, de forma crescente, as distribuições Linux.

 

      As licenças de Windows adquiridas são, em geral, associadas a um computador específico e não podem ser instaladas em outro equipamento. Neste caso, cabe à unidade acadêmica ou órgão que recebeu o computador guardar toda a documentação e CDs vinculados ao mesmo para uma eventualidade. Esporadicamente, a UFG adquire também licenças avulsas de MS Windows, as quais são utilizadas exclusivamente na reconfiguração de equipamentos.

 

      No que tange o uso de Linux em máquinas desktop, o CERCOMP adota a distribuição Ubuntu, dada a sua facilidade de configuração e de uso. O centro recomenda também a distribuição Linux aberta da Novel, chamada OpenSuse, embora não dê suporte na mesma. Ambas as distribuições são livres e podem ser baixadas gratuitamente dos seguintes sites:

 

 

 

      O CERCOMP oferece os serviços de instalação e de suporte aos usuários de Ubuntu, os quais podem ser solicitados por meio de opção aqui .

 

      A maior vantagem de se adotar uma distribuição Linux é receber um ambiente de trabalho já completo, contendo aplicativos de escritório, software de editoração gráfica e programas de comunicação. Além disso, os sistemas Linux são menos sujeitos a vírus e a programas maliciosos e podem ser instalados na residência do usuário sem envolver custos de licença de software.

 

      Uma lista sucinta dos programas incluídos no Ubuntu é apresentada abaixo:

  • Software de escritório LibreOffice, com editor de texto, planilha eletrônica, programa de apresentação de slides e gerenciador de banco de dados.

  • Navegador Web Firefox.

  • Aplicativo de comunicação em rede social

  • Programas de gerenciamento, apresentação e editoração de imagens e de vídeo.

  • Central de Software que permite baixar e instalar facilmente centenas de outros programas.

 

      Quanto a máquinas servidoras, o CERCOMP também adota como padrão o Linux, sendo utilizadas as distribuições Slackware e Debian. A UFG, inclusive, é uma das poucas instituições brasileiras que mantêm um espelho oficial do repositório Slackware (http://www.slackware-brasil.com.br). Todos os serviços centrais da universidade como os sistemas acadêmicos e administrativos, os portais Web, o serviço de email e a conexão de Intranet e de Internet funcionam hoje sob Linux.

 

 

4. Programas Antivírus

 

      Vírus, trojans e demais programas maliciosos são hoje os principais responsáveis pelo mau funcionamento de equipamentos e serviços computacionais e por perdas de dados. Para evitar ou, pelo menos, minimizar esses problemas, faz-se necessário ter um bom antivírus e um firewall instalados no computador.

 

      No momento, está sendo adotado pelo CERCOMP o antivírus McAfee, cujas licenças foram adquiridas para a Universidade. Na falta de novas licenças, deve ser utilizado o antivírus livre ClamWin para Windows, o ClamAV para Linux e o ClamXav para Mac. Apesar de vírus e trojans serem menos comuns em sistemas Linux e Mac, existem também casos de infecção nesses ambientes. Recomendamos, assim, a instalação não apenas de antivírus como também de um firewall nos mesmos.

 

      Note que antivírus populares como o Avast! e o AVG possuem versões gratuitas, mas apenas para uso residencial (não empresarial/governamental). Esses programas são ótimos para serem instalados no computador pessoal do usuário, em sua residência, mas não podem ser utilizados no âmbito da UFG sem as devidas licenças legais.
 

 

5. Formatos Padrões de Arquivos

 

      Os formatos padrões de arquivo recomendados para intercambiamento de dados na UFG são apresentados na tabela abaixo. É indicado o uso de padrões abertos, uma vez que eles promovem a interoperabilidade entre diversas aplicações. Para mais informações sobre padrões abertos, clique aqui.

 

Tipo de Dado Formato
Documento texto editável ODT
Planilha eletrônica
ODS
Apresentação em slides
ODP
Documento não editável PDF
Imagem vetorial
SVG
Imagem de mapa de bits com compressão  PNG, JPG
Arquivo de música para tocadores (alternativa aberta ao formato MP3)  OGG
Arquivo de vídeo OGV e WebM


 

      Os padrões ODT, ODS e ODP compõe o formato aberto ODF (Open Documento Format), aprovado pela ISO em 2006. Várias suites de escritórios com o LibreOffice, o KOffice, o Google Docs e as versões mais recentes do MS Office abrem esse formato.

 

 

6. Aplicativos Padrões

 

      Como padrão para toda a universidade, tanto para máquinas desktop Windows como para computadores com Linux, são adotados os seguintes aplicativos:

 

SOFTWARE DE ESCRITÓRIO E DE COMUNICAÇÃO

  • LibreOffice é a principal suite livre de escritório utilizada no mundo.

  • Mozilla Firefox – trata-se de navegador Web extremamente avançado, com recursos superiores ao Internet Explorer, tais como: gerência de páginas através de abas, pesquisa inteligente e incorporação de novos recursos. Para mais informações, veja também o site original em inglês do Mozilla Firefox.

  • Mozilla ThunderBird – gerenciador de e-mails da Mozilla.

  • Acrobat Reader – leitor gratuito de arquivos PDF.

 

 

FERRAMENTAS DE PRODUÇÃO

  • GIMP – poderoso editor de imagens totalmente livre. Um fórum de perguntas e respostas em português sobre o GIMP pode ser encontrado clicando-se aqui.

  • Scribus – software livre para publicação eletrônica semelhante ao Pagemaker.

  • Inkscape – o Inkscape é um editor gráfico vetorial livre, com recursos similares ao Illustrator, Freehand e CorelDraw.

  • Blender – aplicação livre para modelagem e criação de estruturas 3D e para animação, na mesma linha do 3D Studio Max. Informações gerais em português sobre o Blender podem ser encontradas aqui.

 

SEGURANÇA

  • ClamWin – é um antivírus totalmente livre para Windows. Ele não executa em tempo real, devendo ser ativado manualmente para verificar arquivos e unidades de disco. O ClamWin é baseado na versão para Linux chamada ClamAV. Para Macs, existe o ClamXav.

 

      Em função dos avanços constantes na área de informática, a lista acima pode vir a ser atualizada.

 

 

7. Normatização de Laboratórios

 

      O CERCOMP normatiza laboratórios de computadores sob pedido da direção da unidades acadêmicas e orgãos administrativos da UFG. A normatização, feita a nível de software, consiste na configuração e instalação de um sistema comum para todas as máquinas que padronize a utilização dos computadores pelos usuários e facilite a gestão das mesmas.

 

 

8. Capacitação e Contatos

 

     O CERCOMP e o DDRH estão realizando conjuntamente um plano de capacitação em informática, com vários cursos sobre as tecnologias padronizadas acima, como o LibreOffice e o Ubuntu.

     Informações sobre esses cursos e sobre a normatização de software podem ser tiradas pelo Serviço de Atendimento ao Usuário e pelo próprio portal do CERCOMP.

 



Listar Todas Voltar