Weby shortcut

Cabeamento

Por Ligia Nunes. Criada em 23/12/11 00:01. Atualizada em 21/08/14 11:43.

Conheça as alterações feitas neste novo documento e saiba como passarão a ser executados os Sistemas de Cabeamento Estruturado.

No primeiro semestre de 2002 foi emitido o novo documento ANSI/TIA/EIA-568-B, o qual substitui a antiga norma ANSI/EIA/TIA-568-A. Este documento especifica o "Sistema de Cabeamento Genérico de Telecomunicações para Edifícios Comerciais". A ANSI/TIA/EIA revisa as normas a cada 5 anos. Mais de sessenta organizações da indústria de telecomunicações (incluindo fabricantes, consultores, clientes finais, entre outros) contribuíram com seu "expertise" no desenvolvimento deste novo documento.

O propósito do mesmo é possibilitar o planejamento e a instalação do sistema de cabeamento estruturado nos edifícios comerciais. O documento deixa claro que a instalação do sistema de cabeamento de telecomunicações feita durante a construção do edifício torna-se bem menos custosa do que após a ocupação do edifício.

     Esta nova norma TIA-568-B incorporou todos os TSBs - Technical Systems Bulletins e os adendos da norma TIA-568-A, descritos a seguir:

  • TIA/EIA TSB67 - Transmission Performance Specifications for Field Testing of Unshielded Twisted-Pair Cabling Systems.
  • TIA/EIA TSB72 - Centralized Optical Fiber Cabling.
  • TIA/EIA TSB75 - Additional Horizontal Cabling Practices for Open Offices.
  • TIA/EIA TSB95 - Additional Transmission Performance Guidelines for 4-Pair 100 W Category 5 Cabling.
  • ANSI/TIA/EIA-568-A-1 - Propagation Delay and Delay Skew Specifications for 100 W 4-Pair Cable.
  • ANSI/TIA/EIA-568-A-2 - Corrections and Additions to TIA/EIA-568-A.
  • ANSI/TIA/EIA-568-A-3 - Performance Specifications for Hybrid Cables.
  • ANSI/TIA/EIA-568-A-4 - Production Modular Cord NEXT Loss Test Method and Requirements for Unshielded Twisted-Pair Cabling.
  • ANSI/TIA/EIA-568-A-5 - Transmission Performance Specifications for 4-Pair 100 W Category 5e Cabling.
  • TIA/EIA/IS-729 - Technical Specifications for 100 W Screened Twisted-Pair Cabling.

      Com áreas distintas de foco, o novo documento foi dividido em três normas:

  • TIA/EIA-568-B.1 - "General Requirements".
  • TIA/EIA-568-B.2 - "Balanced Twisted Pair Cabling Components".
  • TIA/EIA-568-B.3 - "Optical Fiber Cabling Components Standard".

     Desta maneira, cada uma das três normas pode ser revisada e atualizada independentemente. Além do que foi mencionado anteriormente, podemos dizer que as principais alterações técnicas feitas neste novo documento são as seguintes:

  • As definições de todas as normas de infra-estrutura de telecomunicações da TIA foram harmonizadas.

  • São fornecidas especificações de performance para o cabeamento balanceado categoria 5e 100 W.

  • São fornecidas especificações de performance para os cabos ópticos multimodo 50/125 mm.

  • Permite a utilização alternativa dos conectores ópticos SFF - Small Form Factor, além do conector 568SC.

  • São fornecidas especificações de performance genéricas para os conectores ópticos.

  • Especifica os requerimentos do "hardware de conexão óptica" para suportar o cabeamento centralizado.

  • O termo "telecommunications closet" foi substituído por "telecommunications room".

  • A configuração de teste "permanent link" substituiu o "basic link".
 

     A norma TIA/EIA-568-B.1 especifica os requerimentos mínimos para o cabeamento de telecomunicações a ser instalado tanto no interior dos edifícios, assim como nas instalações feitas entre edifícios em ambientes externos. Este documento possui informações sobre topologias, distâncias, cabos reconhecidos, configurações dos conectores, entre outras.

     O cabeamento de telecomunicações especificado nesta norma é desenvolvido para suportar vários tipos de edifícios comerciais, assim como diversas aplicações tais como: voz, dados, vídeo, imagem, entre outras. O Sistema de Cabeamento de Telecomunicações mencionado neste documento deve ter uma vida útil mínima em torno de 10 anos. A norma TIA/EIA-568-B.1 especifica os requerimentos mínimos para o cabeamento de telecomunicações a ser instalado tanto no interior dos edifícios, assim como nas instalações feitas entre edifícios em ambientes externos.

     Este documento possui informações sobre topologias, distâncias, cabos reconhecidos, configurações dos conectores, entre outras. O cabeamento de telecomunicações especificado nesta norma é desenvolvido para suportar vários tipos de edifícios comerciais, assim como diversas aplicações tais como: voz, dados, vídeo, imagem, entre outras. O Sistema de Cabeamento de Telecomunicações mencionado neste documento deve ter uma vida útil mínima em torno de 10 anos.

     A norma TIA/EIA-568-B.2 fornece os padrões mínimos de performance dos componentes de cabeamento, assim como os procedimentos para validação dos mesmos; visto que a performance de transmissão do sistema de cabeamento depende das características dos seus componentes como: cabo horizontal, hardware de conexão e patch cords, além do número total de conexões e os cuidados com que os mesmos foram instalados e serão mantidos.

      O desenvolvimento das aplicações com altas taxas de transmissão (ex.: Gigabit Ethernet - 1000 Mbps) exige que os sistemas de cabeamento sejam caracterizados pelos parâmetros de transmissão tais como: perda de inserção, PSNEXT, perda de retorno e PSELFEXT. Os projetistas de sistemas utilizam-se da performance destes padrões para desenvolver aplicações que utilizam os quatro pares do sistema de cabeamento na transmissão simultânea bidirecional.

      Em vista disso, a norma TIA/EIA-568-B.2 especifica os componentes do cabeamento, a performance de transmissão, os modelos de sistema e os procedimentos de medição necessários para a verificação do cabeamento balanceado de par trançado. Além disso, esta norma especifica os equipamentos de teste e medição em campo.

      A norma TIA/EIA-568-B.3 especifica os requerimentos mínimos para os componentes de fibra óptica utilizados no sistema de cabeamento como: cabos, conectores, hardware de conexão, patch cords e equipamentos de teste e medição em campo. Nesta norma são reconhecidos os cabos ópticos multimodo (50/125 mm e 62,5/125 mm) e monomodo.

     Vale a pena lembrar que os manuais da BICSI - Building Industry Consulting Service International descritos abaixo são suplementos muito úteis ao novo documento ANSI/TIA/EIA-568-B. Estes manuais fornecem recomendações de práticas e métodos, com os quais muitos requerimentos desta norma podem ser implementados.

  • Telecommunications Distribution Methods Manual - TDMM.
  • Customer-owned Outside Plant Design Manual.
  • Telecommunications Cabling Installation Manual.

Fonte: GTI

Resumo da norma ANSI/TIA/EIA 568-B

      O documento ANSI/TIA/EIA 568-B substituiu, em 2001, o ANSI/TIA/EIA 568-A, como o "Padrão de Cabeamento de Telecomunicações em Edifícios Comerciais". Os adendos 1 até 5 do documento 568-A e todos os TSBs ( Technical Systems Bulletins 62, 67, 72,75 e 95 ), foram incorporados no padrão 568-B.

      O novo documento é dividido em três seções:

  • B.1 - "Comercial Building Telecommunications Cabling Standard"
  • B.2 - "Balanced Twisted Pair Cabling Components"
  • B.3 - "Optical Fiber Cabling Components Standard"

ANSI/TIA/EIA 568-B - B.1

      Este padrão incorpora e remodela o conteúdo técnico dos seguintes documentos:

  • TIA/EIA TSB 67 - Transmission Performance Specifications for Field Testing of Unshielded Twisted Pair Cabling Systems
  • TIA/EIA TSB 72 - Centralized Optical Fiber Cabling
  • TIA/EIA TSB 75 - Additional Horizontal Cabling Practices for Open Offices
  • TIA/EIA TSB 95 - Additional Transmission Performance Guidelines for 4-Pair 100 Ohms Category 5 Cabling
  • ANSI/TIA/EIA 568-A-1 - Propagation Delay and Delay Skew Specifications for 100 Ohms 4 Pair Cable
  • ANSI/TIA/EIA-568-A-2 - Corrections and Additions to TIA/EIA-568-A
  • ANSI/TIA/EIA-568-A-3 - Performance Specifications for Hybrid Cables
  • ANSI/TIA/EIA-568-A-4 - Production Modular Cord NEXT Loss Test Method and Requirements for Unshielded Twisted Pair Cabling
  • ANSI/TIA/EIA-568-A-5 - Transmission PerformanceSpecifications for 4 Pair 100 Ohms Category 5e Cabling
  • TIA/EIA/IS-729 - Technical Specifications for 100 Ohms Screened Twisted Pair Cabling

Cabeamento BACKBONE

      Os meios de transmissão reconhecidos são:

  • Cabo par trançado sem blindagem, 4 pares 100 Ohms UTP
  • Cabo óptico Multimodo 50/125 um ou 62,5/125 um
  • Cabo óptico Monomodo

Cabeamento HORIZONTAL

     Os meios de transmissão reconhecidos são:

  • Cabo par trançado sem blindagem, 4 pares 100 Ohms UTP ou SC/TP (Screened Twisted Pair)
  • Cabo óptico Multimodo de 2 fibras 50/125 um ou 62,5/125 um
  • Cabo par trançado blindado 2 pares 150 Ohms (STP-A), que não é recomendado para novas instalações

Área de Trabalho

      No mínimo duas tomadas / conectores de telecomunicações são necessárias por área de trabalho:

      Primeira Tomada (obrigatório):

  • Cabo par trançado sem blindagem (UTP) 4 pares 100 Ohms ou SC/TP e conector Categoria 5e associado

      Segunda Tomada:

  • Cabo par trançado sem blindagem(UTP) 4 pares 100 Ohms ou SC/TP e conector Categoria 5e associado.
  • Cabo de 2 fibras ópticas 62,5/125 um e/ou 50/125 um e conectores ópticos (recomendado o SC ou os SFF - Small Form Factor).
  • Cabo STP-A 150 Ohms e conector (não recomendado paranovas instalações).
  • É permitido um ponto de transição ou consolidação.
  • Componentes como bridges, taps e splices não são permitidos para soluções em UTP.
  • Tomadas adicionais são permitidas, desde que igualem ou excedam o mínimo de performanceexigido.
  • Cordões de equipamentos devem ter a mesma performance dos patch cords.


ANSI/TIA/EIA 568-B - B.2

BALANCED TWISTED PAIR CABLING COMPONENTS

      Inclui os requisitos de melhoria de performance para cabos UTP e correspondente conexão de hardware e conectores fêmea categorias 3. 5e e 6.

      Os testes devem ser efetuados no cabo horizontal, na conexão de hardware e nos cordões de manobra, na faixa de freqüência de 1 a 250 MHz.

     As características a serem testadas são as seguintes:

  • PERDA DE INSERÇÃO
  • PERDA DE RETORNO
  • NEXT
  • PARADIAFONIA CATEGORIA 6 (apenas para os cordões de manobra)

      Os requisitos das Categorias 3 e 5e são aprovados pela ANSI/TIA/EIA 568-A e os requisitos da Categoria 6 são valores propostos em drafts contidos em adendos.

PARÂMETROS DE DESEMPENHO DE TRANSMISSÃO

 

PARÂMETROS DE DESEMPENHO DE TRANSMISSÃO PARA CATEGORIAS NÃO PADRONIZADAS

ANSI/TIA/EIA 568-B - B.3

OPTICAL FIBER CABLING COMPONENTS STANDARD

      Este padrão inclui requisitos de transmissão de cabos e componentes de fibras ópticas:

- Performance de Conectores Ópticos Multimodo e Monomodo:

      A perda de inserção máxima para todos os tipos de conector é 0,75 dB. A perda de retorno máxima é - 20 dB para cabos multimodo e - 26 dB para cabos monomodo.

- Raio de Curvatura Mínimo e Força de Tensionamento:

      Os cabos de 2 e 4 fibras utilizados para cabeamento horizontal devem suportar raio de curvatura de 25 mm (1") sob nenhuma condição de carga.

     Os cabos de 2 e 4 fibras para serem lançados através do caminho horizontal durante a instalação devem suportar raio de curvatura de 50 mm (2") sob tração de 222 N (50 lbf).

     Todas as outras fibras internas devem suportar um raio de curvatura de 10 vezes o diâmetro externo do cabo sob nenhuma condiçãode carga e 15 vezeso diâmetro externo sob uma tensão de carga no cabo até o limite avaliado.

     Cabos para instalação externa devem suportar raio de curvatura de 10 vezes o diâmetro do cabo sob nenhuma condição de carga e 20 vezes o diâmetro externo quando setrata de tensãode carga no cabo até o limite avaliado.

     Cabos para instalação externa devem atender um mínimo de 2670 N de força de tensão.

- Conectores 568SC:

     A posição das 2 fibras no conector e adaptador 568 SC devem ser referenciadas como posição A e posição B.

     O conector e adaptador Multimodo deve ser bege

     O conector e adaptador Monomodo deve ser azul

- Conectores SFF (Small Form Factor)

    Pode ser usado em cross connect horizontal intermediário e principal, pontos de consolidação e áreas de trabalho.

PARÂMETROS DE DESEMPENHO DE TRANSMISSÃO EM CABOS ÓPTICOS
Listar Todas Voltar